Naturais

Dia da Montanha

A Assembleia Geral da ONU designou 11 de dezembro como o Dia Internacional da Montanha.

Mas por que as montanhas precisam de um dia só para elas?

Desde 2003 que esta data é comemorada para dar visibilidade à importância da vida nas montanhas, mostrar as oportunidades e constrangimentos do desenvolvimento dessas regiões e construir alianças que resultem em mudanças positivas para os habitantes das montanhas em todo o mundo.

AMEAÇAS

Segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura, perto de um bilhão de pessoas vivem em áreas montanhosas e mais de metade da população mundial depende das montanhas para ter acesso a água, alimentos e energia limpa. No entanto, as montanhas estão ameaçadas pelas alterações climáticas, degradação dos solos, a exploração excessiva de recursos e desastre naturais que podem ter consequências devastadoras.

As montanhas são os primeiros indicadores das alterações climáticas e a medida que o aquecimento global se intensifica, as populações enfrentam sérias dificuldades em sobreviver.

A subida das temperaturas faz com que os glaciares das montanhas derretam de forma sem precedentes, afetando o acesso de milhões de pessoas à água potável.

As mudanças climáticas e os desastres provocados pelo clima, combinados com a marginalização política, econômica e social, aumentam a vulnerabilidade dos povos das montanhas à escassez de alimentos e à pobreza extrema. Atualmente, estima-se que 1 em cada 3 pessoas nos países em desenvolvimento seja vulnerável à insegurança alimentar.

IMPORTÂNCIA

A água das montanhas são as “torres de água” do mundo, fornecendo entre 60% e 80% de todos os recursos de água doce para o nosso planeta. Algumas das maiores cidades do mundo, incluindo Melbourne, Nairóbi, Nova Iorque, Rio de Janeiro e Tóquio, dependem de montanhas para água doce.

Segundo a FAO, estas regiões são o lar de 13% da população mundial. Mais de 90% dos habitantes das montanhas do mundo vivem em países em desenvolvimento e uma em cada três pessoas nas montanhas dos países em desenvolvimento vive em situação de insegurança alimentar.

O turismo de montanha atrai cerca de 15-20% do turismo global, sendo áreas de importante diversidade cultural, conhecimento e patrimônio.

Metade da biodiversidade mundial está concentrada nestes locais, sendo que estas são o lar de muitos dos alimentos que vêm à nossa mesa, como arroz, batata, quinoa, tomate e cevada. Seis das 20 plantas que fornecem a maior parte da comida do mundo têm origem em áreas montanhosas.

Muitas áreas também abrigam antigas comunidades indígenas que possuem e mantêm preciosos conhecimentos, tradições e idiomas.

As montanhas ainda desempenham um papel fundamental no fornecimento de energia renovável, como energia hidrelétrica, energia solar, energia eólica e biogás.

A energia hidrelétrica fornece cerca de um quinto de toda a eletricidade em todo o mundo e alguns países dependem quase exclusivamente de regiões montanhosas para a geração deste tipo de energia.

 

Fonte: ONU News
Fotos: Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *